Postura pessoal na entrevista de emprego

Para entender melhor como funciona uma entrevista de emprego é importante levar em conta as dificuldades enfrentadas pela empresa durante a seleção. Coloque-se na posição do entrevistador.

Sob essa perspectiva, um dos maiores desafios para o contratante é descobrir, em poucos minutos, se o comportamento pessoal do candidato à vaga está alinhado às suas características profissionais e, se o entendimento sobre as qualificações apresentadas pelo candidato são as mesmas requeridas pela empresa.

Um meio do candidato facilitar esse processo é demonstrar o máximo possível suas experiências tanto profissionais com da própria vida. Uma conversa rápida contando a sua história e como considera suas experiências anteriores pode ser um bom índice para a entrevista.

Muitas vezes, o entrevistador está mais interessado em como o candidato se preparou para a entrevista do que o material que traz consigo, portanto, vale muito a pena conhecer o máximo possível sobre a empresa e o que ela faz, e se possível, o arquiteto ou entrevistador. Comentar sobre a própria empresa, seus trabalhos e como pretende colaborar, pode revelar o seu interesse, e até mesmo, saber se você e a empresa combinam seus interesses mutuamente.

Em geral podemos dividir os temas das entrevistas nos seguintes aspectos: pessoal, a percepção que o candidato tem de si, como se relaciona com pessoas e situações e, por fim, sobre a empresa e sua atividade profissional efetivamente.

Então, se prepare para ouvir perguntas como estas:

  • Quem é você?
  • Me fala de uma experiência de quanto cometeu um erro.
  • Me conte sobre uma situação difícil e como lidou com isso.
  • O que você considera que precisa melhorar em você?
  • O que você tem de melhor?
  • O que lhe deixa desconfortável?
  • Que hábitos dos seus colegas você considera irritante?
  • Por que eu deveria lhe contratar nessa empresa?

Percebeu que essas perguntas não envolvem diretamente a atividade que poderia exercer? Isso se deve ao fato de que para um colaborador de longo prazo são muito importantes os aspectos pessoais, de convivência e pré-disposição a aprender e lidar com situações diversas do que o conhecimento técnico. Contudo nos trabalhos eventuais que exigem conhecimento específico, a lógica pode ser invertida, pois procura-se por eficiência e conhecimento absoluto sobre a tarefa a ser exercida, muitas vezes por um curto prazo.

Não deixe de empenhar-se na construção de um bom portfólio e mantê-lo sempre atualizado, afinal esse pode ser o seu primeiro contato com o contratante antes da entrevista e, um portfólio bem elaborado e cuidadoso é um forte indício de comprometimento e dedicação. Os trabalhos, sejam universitários ou profissionais, são considerados como a melhor oportunidade para revelar competência, diminuindo assim a distância na disputa entre quem tem experiência e quem ainda está iniciando uma carreira.

Manifestar afinidade com a profissão e procurar compatibilidade de ideias com a empresa contratante é essencial. Em muitos casos o fracasso em uma entrevista se deve ao fato do candidato não compreender ou não concordar com a visão de mundo da empresa. Portanto, pesquisar sobre os projetos e sobre a filosofia da empresa garante uma boa argumentação com o contratante.

Se estiver engajado em projetos pessoais ou voluntários não deixe de citar essas atividades em sua entrevista. Alguém com essa característica demonstra empatia e mostra que independente de estar ou não empregado sempre busca identificar e resolver possíveis problemas.

Ah, não cometa o pecado de achar que sabe tudo e pensar que irá exercer somente uma função ou executar tarefas que mais lhe agrada, qualquer contratante busca alguém para fazer parte e colaborar em seu escritório ou empresa como um todo, Portanto, esteja aberto a novas experiências e tarefas, disposto a aprender, sempre!

Contudo, todas essas estratégias somente contribuem para que o candidato fique menos inseguro e consiga assim revelar melhor o seu potencial de colaboração durante a entrevista.

Por fim, demonstrar atitude positiva. Ninguém gosta de gente mal humorada!


Omar Dalank

Fundador da Beoog. Arquiteto desde 1997, técnico em construção civil desde 1992 e professor na Escola da Cidade desde 2003, trabalha com arquitetura e urbanismo em suas várias complexidades e escalas desde os 16 anos de idade, tempo de atuação e variedade de programas que lhe permitiu acumular grande experiência e domínio nos vários aspectos que envolvem o desenvolvimento em arquitetura. Entende que a percepção de mundo do sujeito é tão importante quanto o objeto construído, afinal é no espaço entre as coisas que vivemos, e é nessa construção daquilo que nos rodeia que dedica a sua vida profissional.

Deixe uma resposta